• Selecione Seu Idioma

Presidente da BFUCA/UNESCO faz a abertura do Dia Internacional da Mulher

Como forma de comemorar o Dia Internacional da Mulher, a FUNVIC – Fundação Universitária Vida Cristã -, contou na última terça-feira, 8 de março, com uma ação especial para as alunas e professoras da Faculdade de Pindamonhangaba. A abertura oficial foi feita pelo presidente da BFUCA/UNESCO, professor Luís Otávio Palhari, que também preside a instituição de ensino. 

O evento foi realizado no auditório principal da FUNVIC. Na ocasião foi realizada uma palestra ministrada pela advogada e 1ª secretária do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher de Pindamonhangaba, Josi Natália Marcondes Pereira.

A advogada explicou para as presentes sobre as leis em benefício às mulheres, baseadas nas necessidades do município. Ela focou também que a participação da população é fundamental como forma de valorização da mulher no meio político, na tomada de decisões, garantindo assim que os direitos da mulher sejam respeitados, além de abordar outros fatores. “As mulheres são guerreiras pelos seus ideais, sempre em busca das conquistas tanto no cenário nacional quanto internacional. As mulheres tem o dom de cuidar, e muitas se desdobram em prol da sociedade”, disse.

Josi Natália também apontou para as ações conjuntas entre a prefeitura municipal, grupos e conselhos locais, que visam ajudar as pindenses, seja através de apoio para aquelas que sofrem algum tipo de violência, campanhas de saúde entre outros.

O presidente da BFUCA/UNESCO e presidente da FUNVIC, Luís Otávio Palhari, também falou às mulheres presentes, comentando da importância da mulher para a sociedade, e citou ainda um dos objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, que aponta exatamente a questão da igualdade de gênero“A luta é constante e é uma preocupação da ONU de se chegar à igualdade de gênero. As mulheres são fortes, determinadas e tomam suas próprias decisões. É preciso quebrar essa diferença de superioridade entre homens e mulheres, dando à elas as mesmas oportunidades, direitos e obrigações em todas as áreas. Mulheres são flores preciosas e são transformadoras da sociedade em geral, comentou.

O evento festivo também contou com a participação de Simone Braça, presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher de Pindamonhangaba, a enfermeira Veraniza do Prado, assessora técnica de Saúde da cidade, e as professoras Denise Pereira de Lima Carvalho, coordenadora do curso de Enfermagem da FUNVIC, e Sandra Costa, Psicóloga e Psicanalista da instituição de ensino.

Além disso, a atividade teve o apoio da FUNVIC – Fundação Universitária Vida Cristã, Unesco e Prefeitura municipal.

O Dia Internacional da Mulher representa o momento para se pensar e discutir o papel da mulher na sociedade contemporânea e também para tentar diminuir o preconceito e a desvalorização a que ainda são submetidas muitas mulheres.

História do dia 8 de março

No dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte-americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como: redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.

A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas.

Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o Dia Internacional da Mulher, em homenagem às mulheres que morreram na fábrica em 1857. Mas somente no ano de 1975, por meio de um decreto, a data foi oficializada pela Organização das Nações Unidas (ONU).